Marcopolo ajuda o estado gaúcho

A aplicação dos recursos da Fundação Marcopolo poderá ser acompanhada de forma transparente pelo site da Fundação Marcopolo, onde a instituição demonstra os seus 35 anos de compromisso com o Rio Grande do Sul

A Fundação Marcopolo dá uma importante contribuição aos desabrigados da tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul. A instituição doará R$ 5 milhões de recursos próprios para atendimentos das famílias atingidas pelas enchentes. E, para amplificar o impacto da ação, a Fundação convida outras instituições, empresas e a comunidade em geral a se unirem ao movimento. Doações podem ser feitas via PIX (contato@fundacaomarcopolo.com.br) e serão acrescidas ao valor original.

De acordo com Luciano Balen, coordenador da Fundação Marcopolo, apostando na esperança como inspiração para a vida dos gaúchos neste momento tão difícil, os recursos desta ação serão direcionados para o atendimento das vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul, com base nas necessidades apontadas pela Defesa Civil e outras instituições, com o objetivo de viabilizar o recomeço das famílias mediante projetos estruturantes e emergenciais. “É preciso pensar no agora, no emergencial, mas também, definir o futuro que desejamos. Um futuro que coloque o planeta em primeiro lugar e que pense em cidades, estradas e ruas que nos levem a esse futuro sustentável. Precisaremos tornar possível o que deve ser feito”, ressaltou ele.

A aplicação dos recursos da Fundação Marcopolo poderá ser acompanhada de forma transparente pelo site da Fundação Marcopolo, onde a instituição demonstra os seus 35 anos de compromisso com o Rio Grande do Sul. “Atuar como uma aglutinadora de esforços e recursos para atender os anseios e necessidades dos cidadãos sempre foi um dos norteadores das ações da Fundação Marcopolo. Assim, nesse momento de calamidade em nosso Rio Grande, com essa doação e os nossos esforços, pretendemos trazer um pouco de alento e esperança aos afetados e, também, inspirar e conclamar outras instituições para que façam o mesmo”, disse Maurício Castilhos, diretor da Fundação Marcopolo.

Imagem – Divulgação

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *