Ribeirão Preto tem planos para o gás natural nos ônibus

O contexto foi lançado na apresentação do SuperaLab, laboratório de inovação aberta, inaugurado, recentemente, no Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto

A proposta para o uso em escala do gás natural em frota de ônibus urbano foi apresentada recentemente na cidade paulista de Ribeirão Preto, por meio de um estudo sobre impactos da utilização do combustível no projeto, GasBrasiliano Inovation Hub (GaBih), promovido pela GasBrasiliano, empresa responsável pela distribuição de gás natural canalizado na região Noroeste do Estado de São Paulo, abrangendo 375 municípios.

O contexto foi lançado na apresentação do SuperaLab, laboratório de inovação aberta, inaugurado, recentemente, no Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto. A realização desse estudo sobre a aplicação do gás natural e biometano como combustível de transição energética no transporte público de Ribeirão Preto é fomentado pela distribuidora de gás, que atende a região, em parceria com a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de São Paulo (Arsesp), tendo ainda a execução pela Consulgas.

De acordo com a GasBrasiliano, a meta é elaborar uma base comparativa entre o gás natural e o biometano, sob a ótica da gestão de transporte público do município, sendo que o resultado será a comparação entre as alternativas existentes, a avaliação de como as duas opções citadas anteriormente se posicionam na transição energética, e um relatório sobre os impactos nas contas públicas, nas tarifas e no meio ambiente. “A intensificação do debate em torno de iniciativas ESG, em especial às que visam a redução das emissões de gases de efeito estufa, bem como a aprovação e sanção da nova Lei do Gás, que abrirá caminho para a abertura do mercado de gás brasileiro, fizeram com que o gás natural e o biometano assumissem papel de destaque no desenho de estratégias de transição para uma economia de baixo carbono. A busca por alternativas energéticas que visem a redução de impactos ambientais e garantam competitividade e eficiência aos setores econômicos será uma pauta cada vez mais importante. Acreditamos que o GaBih, por meio deste estudo e de outros projetos que virão, será fundamental para o avanço nessa caminhada”, explicou Alex Gasparetto, diretor-presidente da GasBrasiliano.

A atual geração de veículos pesados movidos a gás, que pode estar disponível no Brasil, já usa a tecnologia que atende à norma Euro VI, que será exigida a partir de 2023 por aqui. A conclusão do referido estudo será compartilhada com a prefeitura da cidade paulista, com o objetivo de contribuir para a tomada de decisão em relação à revisão da estratégia de matriz energética municipal e ao PMOB (Plano de Mobilidade Urbana). Para a distribuidora, o estudo contribuirá para alavancar a inserção do gás natural e do biometano no segmento de frotas pesadas.

Para Ricardo Vallejo, diretor da Consulgas, o estudo irá apresentar propostas de transição energética, considerando o gás natural e o biometano, versão renovável do gás natural. Ainda, segundo ele, a região de Ribeirão Preto é um dos locais de maior potencial de geração de biometano do mundo a partir de resíduos da indústria sucroalcooleira. “O biometano a partir de resíduos do setor sucroalcooleiro possui uma das melhores posições de redução de CO2 entre os combustíveis renováveis e utilizar esse combustível como complemento ao gás natural e substituição ao diesel, tanto em transporte coletivo quanto em transporte de cargas, trará grandes reduções nas metas de mudanças climáticas e colocará o Brasil na vanguarda da transição energética”, ressaltou Vallejo.

Imagem – Divulgação

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *