Direto do túnel do tempo

Reminiscências de um tempo em que a indústria brasileira de ônibus ganhava impulso

Na transição das décadas de 1960 e 1970, a encarroçadora gaúcha Nicola, embrião da poderosa Marcopolo, investiu na produção de uma nova linha de carroçarias identificadas para os serviços das classes rodoviária e urbana.

A fabricante de Caxias do Sul também vivia uma fase que visava sua expansão no mercado brasileiro de ônibus. Nesta peça publicitária, ênfase para o modelo rodoviário Marcopolo, que deu o nome à encarroçadora tempos depois, equipado com o chassi de motor traseiro da Magirus-Deutz. Tratava-se de um veículo com linhas estéticas inovadoras e modernas, impactando o segmento por sua configuração que promovia conforto, sofisticação e mais segurança nas viagens estradeiras.

Nesta mesma propaganda, o modelo de carroçaria urbana Nicola, com o chassi da mesma marca da versão rodoviária, porém com outros atributos que diferenciavam o veículo na aplicação do transporte em cidades, como as janelas inclinadas e um desenho externo bem agradável.  

Imagem – Memória Marcopolo

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.