Volvo apresenta seus números de 2021

No tocante ao mercado externo, a Volvo enfatizou os países da América Latina, com 102 entregas na Colômbia, 83 no Peru, 101 no Chile e 99 chassis divididos nos demais países da região, totalizando 385 veículos

Em recente coletiva de imprensa, a montadora Volvo do Brasil divulgou sua produção e comercialização de ônibus nos mercados brasileiros e estrangeiros em que atua. Segundo a marca, no ano passado foram comercializados 1.180 chassis, entre modelos urbanos e rodoviários, pesados e semipesados, sendo que, deste total, 368 veículos foram emplacados no Brasil e os demais foram para a região hispânica da América Latina e vários países da África.

A marca ressalta o mercado em 2021, que continuou sob impacto das limitações de deslocamento e viagens provocadas pela pandemia, seja no segmento urbano, seja no rodoviário. Para a fabricante, nesse cenário, o destaque positivo foi a venda de veículos para operação de fretamento, com 177 chassis emplacados em solo brasileiro. As entregas ainda envolveram outros 128 chassis urbanos e 63 rodoviários, totalizando os 368 veículos.

Para Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America, o mercado em 2021 foi muito desafiante, não sendo tão bom como o do segmento de caminhões. “Em função da pandemia, o setor não mostrou recuperação, porém, no final do referido ano, recuperamos o otimismo, principalmente em relação ao mercado rodoviário, com a volta das viagens e as intenções dos operadores em renovar suas frotas. Quanto ao segmento urbano, ele ainda não apresenta bons resultados que indiquem uma recuperação. Acreditamos que, ao longo de 2022 haja uma discreta renovação dos veículos”, disse Todeschini.

O executivo ainda ressaltou os serviços de fretamento, que possibilitou esse incremento nos números de ônibus comercializados. “Ao longo de 2022 deveremos continuar com bons negócios para esse setor”, sintetizou ele.

No tocante ao mercado externo, a Volvo enfatizou os países da América Latina, com 102 entregas na Colômbia, 83 no Peru, 101 no Chile e 99 chassis divididos nos demais países da região, totalizando 385 veículos. Para a África, foram 340 unidades, para países como Camarões, Costa do Marfim, Burkina Fasso e Gana e para o México houve a exportação de 87 chassis. “Só em 2021, as exportações foram responsáveis por dois terços de tudo o que produzimos aqui. Isso nos ajudou a manter a nossa estrutura brasileira, bem como disponibilizar produtos para um mercado global”, lembrou Todeschini.

Em relação ao futuro, o presidente da Volvo Buses LA comentou que há uma expectativa muito positiva em relação aos negócios, envolvendo a comercialização de mais de 600 chassis urbanos com o sistema de transporte da cidade chilena de Santiago, além de algumas licitações em Bogotá, Colômbia, e aqui no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro. “Temos uma expectativa de renovação da frota de ônibus articulados do sistema BRT carioca. Estamos participando com grande energia para que possamos fornecer mais veículos da marca”.

O ano de 2022 antecede a vigência da nova norma Euro VI para os motores a diesel dos veículos comerciais a partir do ano que vem. Segundo Fabiano, haverá uma antecipação de compras de chassis Euro V que incrementará o mercado de ônibus, sobretudo os veículos rodoviários, com uma esperança de alta na comercialização entre 10% e 15%.

No contexto da eletromobilidade, a Volvo anunciou o seu programa latino-americano de demonstração da sua mais nova tecnologia incorporada em seu chassi urbano BZL (piso baixo), mas que no Brasil terá a denominação de BRZ, com piso alto. A montadora não informou quando apresentará seu veículo ao mercado nacional.

Imagem – Divulgação 

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.