Do fundo do baú

Com o objetivo de alinhar-se com a sua principal concorrente - a Scania e seu chassi B75 - a Mercedes- Benz tinha o modelo LPO 331

Em meados da década de 1960, a Mercedes-Benz, já consagrada no mercado brasileiro de veículos comerciais, tem, em sua gama de produtos para ônibus o chassi LP 321 e o monobloco O-321, com versões estradeira e urbana. Eram modelos equipados com motores de 120 cv de potência e idealizados para operações em rotas de curtas e médias distâncias. Porém, isso não queria dizer que não estavam aptos para as aplicações em linhas de longas distâncias. Pelo contrário, pois os veículos Mercedes-Benz eram reconhecidos pela confiabilidade e desempenho.

Contudo, a montadora resolveu investir em um novo modelo de chassi naquele período, visando ampliar sua linha de produtos para o transporte de passageiros e se igualar à concorrência, que dispunha de um veículo pesado, com uma configuração ideal para as operações estradeiras. Com isso, surge o modelo LPO 331, derivado do caminhão de mesma sigla, dotado de um motor maior, com mais potência – 200 cv -, seis marchas, freio motor a ar comprimido e comprimento de 10,35 metros.

Mas, desculpe-me a Mercedes-Benz, ela cometeu um pecado com o seu, então, novo chassi, pois não observava os princípios construtivos visando o conceito para o transporte de passageiros – suspensão macia, transmissão suave, motor silencioso e altura mais baixa do quadro do chassi. O LPO 331 praticamente era o caminhão sem a sua cabine, pronto para receber a carroçaria de um ônibus.

Se o objetivo foi alinhar-se com a sua principal concorrente – a Scania e seu chassi B75 -, na prática, isso não teve resultado, pois o veículo da marca sueca já nascera sob a orientação do projeto para ser um ônibus e não simplesmente um modelo para transportar cargas.

Claro que a concepção do chassi não deve receber apenas críticas, pois marcou a introdução de motor maior e de alta potência nos ônibus da marca, para a época, precedendo outro modelo que alcançaria grande sucesso no mercado – o monobloco O-326. Com certeza foi um período em que Mercedes-Benz pode tirar uma lição positiva com o seu produto.

Imagem – Acervo Tony Belviso

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.