Ribeirão Preto testa ônibus a gás

O biometano é uma opção dentre outras para a descarbonização do transporte

Durante o DATAGRO, evento do setor sucroenergético que reuniu empresários e executivos de usinas, produtores e fornecedores de cana, além de lideranças políticas para debater e apresentar análises inovadoras sobre a atual safra de cana, a montadora Scania aproveitou o momento para expor o seu chassi urbano K 280 (4×2) equipado com o propulsor Euro VI que pode ser movido com gás natural ou biometano.

Realizado em Ribeirão Preto, o DATAGRO avaliou a safra dos anos 2021/22 e trouxe as estimativas para o futuro – 2022/23 -, com trocas de experiências sobre fundamentos do mercado mundial, ESG – sustentabilidade do setor, tecnologia na área agrícola, questões sobre financiamento e internacionalização do uso do etanol. Aliás, é na cidade paulista que referido veículo fará, por um mês, a operação que demonstrará a viabilidade da tecnologia. Ele será utilizado pela transportadora Rápido D`Oeste. “O biometano, que chamamos de pré-sal caipira, tem grande potencial de virar uma moeda do agronegócio, gerando mais uma fonte de receita para o produtor. Esta solução não é apenas viável, mas ela está disponível aqui e agora. Para acompanhar toda esta potencialidade, a cadeia de produção do biometano precisa crescer em todo o País”, afirmou o presidente e CEO da Scania na América Latina, Christopher Podgorski.

Christopher Podgorski

A fabricante salienta que seus motores a gás são do Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) e podem ser movidos 100% a gás natural ou biometano, ou ainda, mistura de ambos. Com garantia de fábrica, tecnologia confiável e desempenho consistente e força semelhante ao diesel, eles não são convertidos do diesel para o gás.

E, além de serem mais silenciosos, já são certificados para atender aos requisitos da fase P 8 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), ou Euro VI, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2023.

O biometano é uma opção dentre outras para a descarbonização do transporte. Esse biocombustível representa uma excelente oportunidade de transformar dejetos, lixo, biomassa e esgoto em matéria-prima para a tração veicular. “A solução verde-amarelo é advinda do processamento da biomassa – o resíduo da atividade agroindustrial – transformando o passivo ambiental que vai produzir em metano pela força da natureza, surgindo um precioso ativo energético verde. Com ele fechamos o ciclo de carbono e provoca a economia circular transformando o resíduo num ativo precioso”, lembrou Podgorski.

No tocante ao veículo, o chassi K280 IB 4x2GNC está equipado com o propulsor OC09 101, com 280 cv de potência, 9 litros, torque de 1.350 Nm, Euro VI, transmissão automática ZF, além de computador de bordo e oito cilindros para acomodar o gás, totalizando 195 m³.

Segundo a Scania, a autonomia de seu chassi pode ultrapassar os 300 quilômetros, claro que sempre observando o perfil da operação e do modo de condução.

Imagens – Divulgação

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.