A biossegurança na visão da Caio

Tecnologia que agrega alta proteção contra vírus e bactérias, necessidade perene a partir dos acontecimentos dos últimos anos

A encarroçadora paulista Caio, referência no mercado brasileiro de ônibus urbanos, por meio de sua equipe de Inovação e Produtos Especiais e do programa Caio Protect, apresentou recentemente sua nova tecnologia para a purificação do ar e de superfícies no interior dos veículos.

Chamado de HALO-LED, o equipamento foi testado em seus ônibus e possui tecnologia de oxidação avançada, resultando na biossegurança com o sistema de atomização de peróxido de hidrogênio (H2O2), com a finalidade de mitigar do ar e superfícies os vírus, bactérias, mofos, fungos, compostos orgânicos voláteis, alergênicos, odores e fumaça.

De acordo com a Caio, o peróxido de hidrogênio (H2O2) é uma solução que se dissipa facilmente em contato com o ar e é amplamente utilizado pela indústria de detergentes, alvejantes, sabões e, na medicina, como desinfetante ou agente esterilizante. “É uma tecnologia que agrega alta proteção contra vírus e bactérias, necessidade perene a partir dos acontecimentos dos últimos anos, com a preservação da usabilidade e design interno dos ônibus”, disse Maurício Lourenço da Cunha, diretor industrial da encarroçadora.

De fácil instalação junto ao duto de ar-condicionado, o novo equipamento tem ação ativa (sistema de purificação contínua) no ar e nas superfícies e quanto mais o veículo estiver em operação, mais eficiente o sistema se torna, saturando o ar por meio da equalização interna, auxiliando no tratamento de outros contaminantes trazidos pelos passageiros e pela abertura das portas.

A tecnologia está sob o signo da Mercatto Automação, empresa com a preocupação de apresentar um produto que tenha as devidas aprovações e liberações, de modo a dar garantia de eficiência e de utilização sem riscos, que os usuários e funcionários das empresas necessitam, oferecendo aos empresários ótima relação custo benefício na sua utilização e manutenção preventiva.

Armando Scarcella Júnior, representante comercial da empresa, ressaltou que neste momento, uma das grandes solicitações por parte dos órgãos governamentais, entidades de saúde, órgãos normatizadores e das empresas que trabalham nas mais diversas áreas (que além do trânsito de funcionários, tenham atendimento ao público em geral), é haver alternativas que promovam um ambiente livre de impurezas. “É uma solução que atende e combate de imediato à questão das fontes de vírus, bactérias, odores e fungos, tanto no ar como nas superfícies. A solução precisa ser ativa, ou seja, atuante e efetiva no período de operação do veículo”, disse ele.

Ainda, segundo Armando, o custo de parar o veículo, utilizar mão de obra para aplicação (devidamente treinada/capacitada), com seus devidos EPIs, manter estoque de produtos em diversas garagens e a operação de descarte que deve obedecer as normas vigentes, tornam o valor de alguns dos processos proibitivos. “O fato de não precisar reengenharias e instalações complexas, torna o HALO-LED uma ótima solução para as necessidades atuais, podendo ser instalados em ônibus já em operação, com tempo médio de serviços em torno de 50 minutos”, explicou.

Imagens – Divulgação

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.