Projeto brasileiro com reconhecimento mundial

Sistemas de BRT já são referência em termos da melhor mobilidade urbana, com a modernização dos sistemas de ônibus

A cidade paquistanesa de Peshawar implantou recentemente um importante corredor para ônibus urbano. O sistema, com o conceito de BRT (Trânsito Rápido de Ônibus), recebeu o nome de Zu Peshawar (a palavra ZU é muito usada na região e significa “Vamos!” em Pashto, a língua local) e foi criado por um brasileiro – Wagner Colombini, da empresa LOGIT.

O engenheiro, que já participou de outros projetos, tão importantes como esse, informou que o referido projeto contou com financiamento do ADB (Banco de Desenvolvimento da Ásia) e contribuiu para desenvolver o transporte urbano de forma sustentável em Peshawar, por meio da implementação de um corredor de BRT focado na melhoria das condições de acessibilidade e mobilidade da população. Seu desenvolvimento rendeu a premiação do GOLD Standard, do Internacional BRT Standard Technical Committee, como exemplo eficaz na área de transporte.

Como era o transporte na cidade paquistanesa

Ainda, os resultados obtidos geraram à cidade de Peshawar reconhecimento por meio de menção honrosa, no prêmio 2022 Sustainable Transport Award (STA) Ceremony, evento apresentado pelo ITDP (Institute for Transportation & Developmente Policy). Nessa premiação, a cidade vencedora foi Bogotá, na Colômbia. A cidade de Tartu, na Estônia, também recebeu menção honrosa.

O mencionado corredor de ônibus paquistanês opera, atualmente, com 220 ônibus híbridos-elétricos ao longo de 65 km de faixas, aumentando o acesso à cidade para toda a sua população que, até 2020, não contava com um sistema de transporte público de qualidade. “O sistema, em sua primeira fase, inclui um corredor segregado de 27 km de comprimento para a operação de sete linhas expressas, paradoras e diretas. As linhas diretas atendem, além da demanda lideira ao corredor, também as áreas mais periféricas, pois podem entrar e sair do corredor em intersecções especialmente desenhadas. Além disso, todos os veículos foram produzidos especialmente para as necessidades da população local, equipados com ar-condicionado, conexão de internet via Wi-Fi, áreas específicas para mulheres e avisos sonoros em Pashto, Urdu e Inglês. As estações são equipadas com painéis de mensagens variáveis, bilheteria eletrônica, espaços para orações e controle de segurança na entrada e saída, além de espaço de circulação amplo para ampliar o conforto dos usuários. Algumas estações ainda contam com áreas destinadas à estabelecimentos comerciais e de serviços”, explicou Colombini.

Ainda, segundo o engenheiro, durante a implementação do projeto, houve uma preocupação especial com a garantia da acessibilidade universal e com as questões de gênero, principalmente para garantir a segurança e o respeito às passageiras mulheres nos veículos e estações. Como resultado, de acordo com a cidade, o número de usuárias aumentou de 2 para 20% desde o seu lançamento.

O novo corredor conta com os mais modernos ônibus

E qual a importância de ser reconhecido por esse prêmio? De acordo com Colombini, o ITDP é uma organização não governamental que atua globalmente, focada no apoio ao desenvolvimento sustentável das cidades. “Assim, ao premiar os avanços de uma cidade específica, a instituição reconhece que as barreiras encontradas por essa cidade foram transportas de maneiras inovadoras e que podem ser consideradas como exemplos a serem seguidos por diversas outras cidades. Além disso, o ITDP reconhece o compromisso dessas cidades com a agenda do desenvolvimento sustentável, por meio da implementação de uma visão de futuro promissora por parte dos seus gestores”, ressaltou.

Sistemas de BRT já são referência em termos da melhor mobilidade urbana, com a modernização dos sistemas de ônibus. As grandes cidades brasileiras ainda olharão com bons olhos a esse modo de transporte? Colombini dissertou que o BRT é uma criação brasileira e foi aperfeiçoado na Colômbia, com muita mão brasileira. “É um sistema que tem boa capacidade e flexibilidade, com custo e prazo de implantação menor do que o modo ferroviário e certamente será cada vez mais empregado. São poucas as cidades que têm demanda suficiente para viabilizar um metrô e cada vez mais vamos prezar pela eficiência financeira dos projetos. No futuro, com a possibilidade de operação com ônibus elétricos, creio que cada vez mais o BRT será visto como uma opção sustentável”, observou ele.

Em relação à outros projetos, o engenheiro citou que está trabalhando em novas perspectivas de mobilidade. “Estamos trabalhando no momento nos projetos de BRT em Abidjan (Costa do Marfim), Douala (Camarões) e Karachi (Paquistão). A LOGIT também está envolvida em projetos de estímulo à transição para a eletromobilidade em cidades brasileiras, além de projetos de implantação de sistemas de bicicletas compartilhadas em Bishkek, Addis Abeba. Em 2020, também prestamos assessoria técnica para Bogotá, contribuindo para a implementação do seu sistema de bicicletas compartilhadas, assunto divulgado recentemente pela secretaria de mobilidade local”, ressaltou.

Imagens – TransPeshawar Company, Wagner Colombini e reprodução da internet

A melhor maneira de viajar de ônibus rodoviário com segurança e conforto

Ônibus movido a biometano, por Juliana Sá, Relações Corporativas e Sustentabilidade na Scania

Posts Recentes

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.